Deputado Elizeu Nascimento esteve reunido com servidores públicos para lutar contra o aumento da na contribuição previdenciária

Servidores públicos vão passar a contribuir com 14% do salário para a aposentadoria

Foto Eliel Tenório

Representantes das associações dos militares estiveram reunidos com o presidente da Comissão da Segurança Pública deputado estadual sargento Elizeu Nascimento (DC), para discutir o Projeto de Lei Complementar (PLC) que altera, de forma imediata, a contribuição previdenciária no Estado. O parlamentar é contra o aumento e declarou que essa conta o servidor público não tem que pagar.

O PLC foi apresentado pelo governo na manhã desta quinta-feira (5) ao Conselho do MT Prev, com aumento de 3% na contribuição dos servidores. Dessa forma, eles passariam a ter descontados 14% do salário para a aposentadoria. Atualmente essa contribuição é de 11%.

“Existe outros dispositivos que o governo pode usar como exemplo fiscalizar e cobrar tantas empresas que sonegam impostos, o problema do Estado não é servidor público, não foram os servidores públicos que colocou o Estado na situação que está os servidores não podem pagar essa conta. O governo começou o embate contra os incentivos ficais não foi para frente agora quer tirar do servidor, nós não vamos aceitar”, enfatizou deputado Elizeu.

“Os servidores públicos estão sofrendo com a gestão de governador Mauro Mendes (DEM). Os servidores público já vêm sofrendo desde começo da gestão, recebemos a noticia desse aumento com muita apreensão, o governo está aproveitando para prejudicar ainda mais o servidor. Caso essa mensagem venha passar na Assembleia Legislativa, o servidor público terá um prejuízo grande”, declarou o presidente da Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar de Mato Grosso- ASSOF MT, Coronel Mario Morais.

O vereador sargento Joelson (PSC) esteve na reunião e acha que o governador pelo menos deveria escutar os servidores públicos. “Temos que analisar que a nível nacional isso já vinha sendo colocado, o problema é forma que o governo nesse momento é muito arbitrário e não está dando a chance do servidor discutir, para contra argumentar. As associações dos militares junto com os servidores civil vamos fazer um trabalho muito forte para  que isso não passe a toque de caixa”, expressou o vereador.

Estivem presentes, o Coronel PM Mario e o Tenente Coronel Wanderson Nunes ambos da (ASSOF MT) – Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar de Mato Grosso, o 1º sargento João Paulo da Associação dos Sargentos, Subtenentes, Oficiais Administrativos e Especialistas, Ativos e Inativos da PM/BM-MT (Assoade), o vereador sargento Joelson e o cabo Adão da Associação de Cabos E Soldados (ACS) e o sargento  Minadabes de Miranda  da Associação de Bombeiros Militares (ABMMT).

Compartilhe este post!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️